Domingo, 17 de Junho de 2007

...

Funchal
 
«O Funchal é a capital da Região Autónoma da Madeira que integra as ilhas habitadas da Madeira e Porto Santo, os ilhéus das Desertas e o pequeno arquipélago das Selvagens.
Localizada aproximadamente a 900 km de Portugal Continental e a cerca de 600 km da costa de Marrocos, a Ilha da Madeira tem uma área de 736,75 km2 e uma população residente de 257 mil habitantes.
O concelho do Funchal, situado na vertente sul, ocupa uma área de 76,3 km2 e está dividido em dez freguesias.
A geomorfologia da paisagem em que a área urbana funchalense se implanta, apresenta-se como uma encosta de grandes dimensões, disposta em anfiteatro, que sobe rapidamente do nível do mar até um conjunto montanhoso que culmina para além dos 1800 metros de altitude (Pico do Areeiro – 1818m)
A cidade do Funchal, está intimamente ligada aos espaços naturais envolventes. O Atlântico limita-a a sul. O mar é uma constante da paisagem e um importante elo de ligação com o exterior. É também fonte de rendimento (pesca, desporto, actividades turísticas). A orla marítima é local de recreio e lazer de residentes e visitantes.
A norte, a montanha. A cidade expande-se embrenhando-se na floresta predominantemente constituída por árvores exóticas – pinheiros, acácias e eucaliptos – que substituíram as espécies indígenas consumidas pelos engenhos de açúcar, pela marcenaria e pelos fogos nos primeiros tempos de povoamento.
Nascida numa ampla baía de águas mansas, a cidade do Funchal expandiu-se em direcção à montanha. A primeira urbe edificada pelos europeus fora dos limites do velho continente cresceu tal qual uma trepadeira. As raízes fixaram-se à beira-mar e os ramos ainda não pararam de se estender nas encostas soalheiras.
Hoje o Funchal tem 116 mil habitantes, aos quais se juntam diariamente entre 14 a 16 mil turistas em hotéis localizados especialmente na parte ocidental, de orografia suave.
Apesar do solo constituir um bem raro e a pressão demográfica ser muito forte, continuam a existir grandes manchas verdes, mantendo-se a imagem cidade jardim.
A baía do Funchal foi paragem obrigatória para caravelas e naus em viagem entre a Europa e a África, Ásia, Austrália ou América. Aqui as tripulações retemperavam forças, faziam negócio, ou estudavam o património natural. Aqui deixavam plantas de todo o mundo que hoje embelezam os jardins e os parques públicos e privados.»
 
In Parques e Jardins do Funchal - Raimundo Quintal/Margarida Pitta Groz -CMF

publicado por olharfunchal às 17:34
link do post | comentar | favorito

Página Principal